sábado, 8 de outubro de 2011

Vizinho novo: Casado e pauzudo

Já fazia um tempinho que eu não dava o rabo, e já estava na fissura. Quando vi o novo vizinho, na hora fantasiei que podia ser ele a apagar o meu fogo. Só não imaginava que fosse dar certo. Caio é um negro alto, professor de natação, uns 30 anos e muito gostoso. Havia se mudado há uma semana. Logo fui puxar papo com ele e de cara nós demos bem. Fiquei tramando uma estratégia pra traçar aquele negão. Como a mulher de Caio estava grávida de 8 meses, achei que essa seria a brecha. Um dia, tomando uma cerveja com ele na minha casa, dei a entrada:
---E ai, Caio, tua mulher tá quase dando a luz... tá tudo normal?"
---Tudo sim, por que?"
---E sexo, tá rolando?"
---Que nada. Desde o quarto mês que ela não quer nem saber disso" Pronto! tinha achado uma brecha. O negão devia estar a perigo. Agora era só rodear com cuidado e dar o bote.
---Então tu deve estar numa fissura da porra"
---Nem me fala, cara... eu nunca trai minha esposa, mas ando de um jeito, que meteria a rola em qualquer buraco que aparecesse. Na mesma hora meu cuzinho já começou a latejar...
---Até em cú de homem?" – perguntei
---Cara, eu nunca comi homem, mas com o tesão que eu estou, acho que eu traçava.
Disse a ele que ia buscar umas revistas pra mostrar uma "coisinha"
pra ele. Voltei do meu quarto, com algumas revistas de sexo gay, escolhidas a dedo. Dei pra ele folhear, já observando se o mastro dele ia dar sinais de vida.
---Caralho, os caras aguentam tudo no cú mesmo..."
---Tua mulher não libera o rabo pra você?"
---Infelizmente não. Eu já pedi muito, mas ela não curte" A essa altura, tanto o pau dele quanto o meu já estavam estourando dentro das calças. Ele estava visivelmente fascinado pelo que via. Era a hora de dar o bote:
---Porra, Caio!Tu tá de pau duro.
---Pior que to mesmo..." Com medo de levar uma cortada, mas tremendo de tesão eu disse:
---Deixa eu ver?" Na mesma hora ele abriu o botão e o zíper da calça, e de lá surgiu um pau maravilhoso. Preto, com a cabeça rosada. Sem medir as consequências peguei aquele pau e comecei a punhetá-lo. O negão deu uma gemidinha de prazer. Agora tinha certeza:Aquela rola seria minha! Sem perder tempo, me ajoelhei e comecei a lamber aquela tora grossa, que já estava dura como pedra. Um pau suculento, do jeito que eu gosto. Abri bem a boca, e engoli aquela cabeçona. Caio não resistiu.
---AI que delicia, cara! Fazia tempo que ninguém me chupava" Dei aquele trato caprichado. Sugava, mamava como um bezerro, e só tirava da boca pra lamber aquele saco gostoso, com cheiro de macho, onde o leite quente cozinhava. Pelos gemidos de Caio, senti que ele ia gozar. Eu até queria engolir o seu leite, mas resolvi parar. Tinha outros planos pra ele:
---Vamos pro meu quarto, que eu quero te fazer um negocinho" Ele veio comigo, com aquela piroca dura agitando-se no ar. Tirei minha roupa e empinei a bunda pra ele, de quatro na cama. Sou um cara másculo, mas gosto de virar uma verdadeira puta na hora de foder.
---Gostou da minha bunda, Caio?"
---Porra cara, que puta bundão..." Eu já tinha depilado meu cuzinho de manhã, na esperança de traçar o negão. Suas mãos fortes começaram a apertar a minha bunda, e o meu tesão foi pras alturas.
---Brinca com esse cuzinho, meu macho..." Pra minha surpresa, caio se abaixou e enfiou a lingua no meu cú. Tive que segurar o grito de tesão. Aquela língua fazia movimentos circulares no meu cú, e eu rebolava, gemia, como uma puta no cio.
---Tá gostoso esse cuzinho, tá?"
---Tá uma delícia, porra!" Logo ele começou a bater com a pica no meu rego. Senti que ia ser uma missão árdua agasalhar aquele colosso preto. Peguei um tubo de lubrificante e pedi pra ele espalhar. A medida que ele passava, dava uma enfiadinha de dedo no meu cú, arrancando gemidos de tesão. Até que ele enfiou o dedo todo.
---Tá doendo, safado?"
---Tá é muito gostoso", eu disse, enquanto rebolava
---Que cuzinho quente... Puta que delicia"
---Quero que você me coma... Pode me foder, macho" A sensação daquela cabeçona encostando na portinha foi indescritível. Só que gosta de dar o rabo sabe como é gostoso aquele calorzinho, aquela coceguinha. Relaxei o anel e fui sentindo cada centímetro daquele cacete entrando. Meus gemidos ficavam mais altos, e a vontade de gritar aumentava. Quando a cabeça deslizou pela próstata, eu quase desmaiei de tesão.Caio parecia não acreditar:
---Ai que tesão cara... teu cú é muito gostoso..." No mesmo instante comecei a rebolar. Olhava pra trás, fazendo cara de puta depravada, mordendo o lábio e pedindo, pra que ele me fodesse. Quanto mais putaria eu falava, mais forte ele bombava:
---Vai meu preto pirocudo. Fode!! FODEEEEEE!! A sensação daquela carne dura e quente me preenchendo era magnífica. Enquanto ele me fodia, eu batia uma punhetinha de leve, curtindo cada segundo. Fiz o movimento de sair daquela posição e fiquei na posição de franguinho assado. Adoro ver a cara do macho quando goza. Abri bem o meu rabo e disse:
---Vem, Caio. Vem arrombar essa bunda" Sem cerimônia Caio meteu tudo de uma vez, me fazendo soltar um grito, que misturava prazer e agonia. Os pentelhos encaracolados se esfregavam no meu saco.
---Vem safado, come gostoso esse cú. Me faz de puta, me engravida... Me dá leite" Percebi pela cara dele que o momento sublime estava próximo, e sua fala confirmou o que eu imaginava:
---Ahhhhhh que tesão louco. To quase gozando, porra."
---Goza, goza gostoso meu macho. Enche meu cú de porra" Os movimentos se aceleraram, até que ele deu um gemido mais alto e empurrou até o talo pra dentro. Senti o seu líquido quente me inundando. Era gostoso demais sentir aquela pica preta me enchendo de mel. Pedi pra que ele não tirasse, e continuei me punhetando. Em poucos segundos, eu gozei maravilhosamente, fazendo cara de vadia. Logo depois, sua pica já amolecida escapou do meu cú, fazendo o leite escorrer sobre o lençol. Depois daquele dia, Caio começou a me evitar. Aparentemente, bateu-lhe a culpa, por ter comido o cú de outro homem. Mas eu nem liguei. O importante é que eu gozei muitooooooo...
By: Sacaníssimo

Nenhum comentário:

Postar um comentário